Jogos olímpicos 2016: ensinamentos de resiliência e obstinação

Imagem relacionada

Eu quero começar este artigo citando uma frase Mark Spitz, um dos maiores ganhadores de medalhas de ouro numa mesma Olimpíada: “Todos querem ganhar medalhas de ouro, mas poucos querem treinar na intensidade necessária para conquistá-las.”

Para vencer é preciso se preparar muito, e além de preparação, é preciso ter uma grande capacidade de superação. Veja, por exemplo, a primeira atleta a receber medalha de ouro para o Brasil nas Olimpíadas do Rio-2016, a judoca Rafaela Silva. Eliminada na primeira luta das Olimpíadas de Londres (2012), desiste por um tempo depois de ofensas racistas. Disseram que “judô não era para ela” e que ela era“uma vergonha para a família.” Apesar de ter desanimado por um tempo, ela deu a volta por cima, se preparou ainda mais e, no ano seguinte, recebeu duas medalhas de ouro, uma no Campeonato Mundial de Judô e outra no Campeonato Pan-Americano. E para coroar ainda mais sua obstinação, em 2016 ela recebe medalha de ouro nas Olimpíadas do Rio.

Reflita: será que existe segredo para o sucesso? Será que os vencedores possuem algum dom sobrenatural? Eu prefiro acreditar na dedicação, na preparação e, principalmente na resiliência, que é a capacidade de aprender com as adversidades e se tornar ainda mais forte, seguir em frente de cabeça erguida…Isso é fundamental para os negócios, para a carreira profissional, para a vida!

A palavra resiliência é a junção do termo latim “silie” (saltar) acrescido do prefixo “re” (novamente). Na física resiliência se refere à capacidade que um material tem em suportar grandes impactos de temperatura e pressão, mas consegue se recuperar e voltar à sua forma anterior. Usando este conceito para o aspecto humano, a diferença é que um indivíduo que sofre pressão, que enfrenta adversidades e até derrotas, quando ele tem resiliência não volta ao seu estágio anterior, ele se torna melhor, pois aprende com os acontecidos e isso o deixa mais forte. Foi o que aconteceu com a Rafaela Silva. Se ela não tivesse feito a escolha de continuar se preparando, de dar a volta por cima, e de se manter focada, jamais ela teria subido no primeiro lugar do pódio das olimpíadas.

Ser resiliente é fundamental para lidar com o estresse, para crescer profissionalmente e pessoalmente. A boa notícia é que qualquer pessoa pode aumentar a sua resiliência, basta se permitir e buscar aprender com exemplos reais de superação. Vitórias como a de Rafaela Silva nos fazem lembrar da música de Paulo Vanzolini: “Reconhece a queda e não desanima, levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima.” Leve o espírito olímpico para sua carreira profissional, mantenha-se em constante aperfeiçoamento e seja resiliente em qualquer circunstância.

Cersi Machado
Palestrante e treinador empresarial há 15 anos. Especialista em motivação, atendimento e treinamento de equipes. Site: www.cersimachado.com.br.
E-mail: cersi@cersimachado.com.
Acesse a Fanpage e curta: www.facebook.com/cersi.machado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


* Preencha o código da imagem.